Archive for the Des-Informação Category

Redação BlogDoBatman

Posted in Amenidades, conspiração, Des-Informação, Fofoca, Humanidade bizarra with tags , , , , , , , , , , , , on 16/11/2010 by blogdobatman

X diz:*ALOU

Y diz:*porra meu irmãozinho to precisando de ajuda

X diz:*Falai

Y diz:*você sabe o que são as cinco pedrinha meu irmao?

X diz:*MARAVILOSO

*CONSELERO

*ou tamo falando da quinta que logo chega?

Y diz:*Q

*entendi noa rapa

*talvez a comunicação apresente falhas no engano

*mas você vai entender

*faz de conta que ainda é cedo

X:*HAUAHUHAUHAHUAHUAHUHUAHUAHUAHUA

*Velho

*a comunicação tá confoosa

*fale mais

Y diz:*uhaefuasdhiaisud

*cara

*caralho

*tem esses dialetos de homossexuais né?

*confoosa

*AFFERSON

*AFUHEIAUEF

*caralho

*ue lombra

*velho fiquei no antro hoje só eu e um hippie

*ouvindo um groundation

*deve ter sido por umas duas horas, velho

*a gente rindo um do outro jogando sinuca

*quase me apaixonei

X diz:*AHUAHUAHAUAUAHUAHUAHAUHAUHAUHAUHAUAUAHUAHAA

*olha a conexão chegando

*vem falando de dialeto de homossexuais e agora de qse se apaixonar por um cara

Y diz:*freud explica

X diz:*BRIMKS

Y diz:*AHUFAHUEIHUFAEIHIUAEFHUAIEFHIUA

[censurado]

X diz:*E nem reclamo

*pelo menos é no braço esquerdo

*que eu só lembro que existe quando rola tendinite

*é mais inútil que minhas amídalas essa porra

Y diz:*você não bate uma punhetinha não com o braço esquerdo?

*boto fé que é de boa

X diz:*Nem

Y diz:*velho vamo plantar dana da noite

X diz:*só com a direita

Y diz:*e maconha

*claro

*dama

X diz:*HAUHAUAHUHUHUAHUAHAUHAUAHHAUAHAUHUAHUA ALOA

*já tá pensando em LS(coloque sua letra preferida aqui)

Y diz:*dddddddddd

X diz:*Tô pensando em plantar uns joints pq tá foda

Y diz:*jamais lsa

*velho aquele manolo da quimica

*velho

*ele é genio

*aralho ele fez minha cabeça

*quero plantar as paradas todas

*iz que um pé adulto de seilaoque gera de 1400 a 1500 sementes

*não sei o que quer dizer, mas deve deixar muito louco pela mepolgação dele contando

X diz:*HAUHAUHAUHUAHUAHAUHAUHAUAAHUAHUAHUHAHAHAUHAA

*Ouxi, bora lá

*minha tia aliás já tem um pé de dama da noite

*qria ordenhar aquela planta sem levantar suspeitas

*pq né, minha prima fez farmácia, bem sabe o q dá pra extrair daquilo

Y diz:*+.+

*X seu molecão doido

X diz:*Sô nada

*Sou maior Sandy

*Meu nome é X, e estou há 24horas sóbrio

Y diz:*caralho fumei até umas hora

*velho

*to pensando em comprar um passat

*colar um adesivo dos racionais

*o bixo na prisão ta ligado?

X diz:*HAUHAUHUHUHHAUAHUAHUAHAUHUAHUAHUAHUA

*Tô bem vendo

*tá cos ôi veRmelho, aposto

*bem queria tbm, vou ver se acho algo aqui

*Pô, passat é ruim véi

*estacionar aquilo deve ser um transtorno

Y diz:*caralho X

*sério

*mais tarde

*velho

*você tem aí?!

*bora fumar nós dois, velho!!!!!

*CARALHOOOOOO

*JÁ PENSOU!?!?!?

X diz:*HAUHUAHAUHAHAUAHUAHUAHUA

Y diz:*AÍ A GENTE FAZ UMA VIAGEM LOUCA PRA BABILONIA

X diz:*FUDEU

Y diz:*PELO SKYPE SEI LÁ

*VELHO

*VAMO ESCREVER

X diz:*MERMÃO

Y diz:*VAMO GRAVAR ALGUMA COISA

*VELHO

*VAMO

X diz:*ACHEI UMAS 15 PONTAS

*VOU BOLAR ISSO E NUNCA MAIS VOLTO PRA TERRA

*E EU AQUI TOMANDO PARACETAMOL PRA TENDINITE TENDO COISA MELHOR

*OUXI, BORA SIM!

Y diz:*VELHO

*CALMA

*MAIS TARDE

*ETAPORRA

X diz:*eita

*oka

Y diz:*QUE SE EU PUDESSE EU MATARRA ERAM IL

X diz:*mais tarde

Y diz:*QEU SO CABA HOJME

porra

X diz:*HAUHAUAHUAHUAHUAHUUHAAUAUAHUAHUAHA

Y diz:*cai pra ca velho

*bota contar umas piadas

*jogar um uing eleven

X diz:*Véi

*são 22:11

*só tem como eu ir pro plano agora

*e nem teria como voltar se eu fosse

*=~~

Y diz:*faeihuaefhuaefhuaiefhiuaefhuiafe

*caralho X

*pega o proximo trem pra babilonia

*partindo da etiopa

Vocês acham que desistimos, ou, quem sabe, que sumimos.

Nós estamos cada vez mais perto.

Veja essa

Posted in conspiração, Des-Informação with tags , on 03/08/2010 by blogdobatman

Enquanto isso, na redação de Veja...

Cuba realiza eleições mais uma vez

Posted in conspiração, Des-Informação on 26/04/2010 by blogdobatman

Para todos os alienados que ainda pensam que Cuba é “a ditadura do Fidel”

Por Juan Marrero, traduzido por Alexandre Leite para o blog Investigando o Novo Imperialismo

Para algumas pessoas no mundo deve ter soado um pouco estranho o anúncio do Conselho de Estado da República de Cuba de que no domingo 25 de abril se efetuarão as eleições para delegados às 169 Assembléias Municipais do Poder Popular.

Isso é perfeitamente compreensível, pois um dos componentes principais da guerra midiática contra a Revolução cubana tem sido negar, escamotear ou silenciar a realização de eleições democráticas: as parciais, a cada dois anos e meio, para eleger delegados (concelhos), e as gerais, a cada cinco, para eleger os deputados nacionais e integrantes das assembléias provinciais.

Cuba entra no seu décimo terceiro processo eleitoral desde 1976 com a

participação entusiasta e responsável de todos os cidadãos com mais de 16 anos de idade. Nesta ocasião são eleições parciais.

Com a tergiversação, a desinformação e a exclusão das eleições em Cuba da agenda informativa de cada um, os donos dos grandes meios de comunicação tentaram afiançar a sua sinistra mensagem de que os dirigentes em Cuba, a diferentes níveis, não são eleitos pelo povo.

Apesar de, felizmente, nos últimos anos, sobretudo depois da irrupção da internet, os controles midiáticos se terem ido quebrando aceleradamente, e a verdade sobre a realidade de Cuba, nas eleições e noutros acontecimentos e temas, foi vindo à tona.

Não dar informação sobre as eleições em Cuba, nem da sua obra na saúde, educação, segurança social e outros temas, obedece a que os poderosos do mundo do capital temem a propagação do seu exemplo, à medida vai ficando completamente a nu a ficção de democracia e liberdade que durante séculos se vendeu ao mundo.

Apreciamos, no entanto, que o implacável passar do tempo é adverso aos que tecem muros de silêncio. Mesmo que ainda andem por aí alguns comentadores tarefeiros ou políticos defensores de interesses alheios ou adversos aos povos que continuam a afirmar que “sob a ditadura dos Castro em Cuba não há democracia nem liberdade nem eleições”. Trata-se de uma ideia repetida frequentemente para honrar aquele pensamento de um ideólogo do nazismo segundo o qual uma mentira repetida mil vezes poderia converter-se numa verdade.

À luz das eleições convocadas para o próximo dia 25 de abril, quero apenas dizer-vos neste artigo, dentro da maior brevidade possível, quatro marcas do processo eleitoral em Cuba, ainda susceptíveis de aperfeiçoamento, que marcam substanciais diferenças com os mecanismos existentes para a celebração de eleições nas chamadas “democracias representativas”. Esses aspectos são:

1) Registro Eleitoral;

2) Assembléias de Nomeação de Candidatos a Delegados;

3) Propaganda Eleitoral; e

4) A votação e escrutínio.

O Registro Eleitoral é automático, universal, gratuito e público. Ao nascer um cubano, não só tem direito a receber educação e saúde gratuitamente, como também quando chega aos 16 anos de idade automaticamente é inscrito no Registro Eleitoral. Por razões de sexo, religião, raça ou filosofia política, ninguém é excluído. Nem se pertencer aos corpos de defesa e segurança do país. A ninguém é cobrado um centavo por aparecer inscrito, e muito menos é submetido a asfixiantes trâmites burocráticos como a exigência de fotografias, selos ou carimbos, ou a tomada de impressões digitais. O Registro é público, é exposto em lugares de massiva afluência do povo em cada circunscrição.

Todo esse mecanismo público possibilita, desde o início do processo eleitoral, que cada cidadão com capacidade legal possa exercer o seu direito de eleger ou de ser eleito. E impede a possibilidade de fraude, o que é muito comum em países que se chamam democráticos. Em todo o lado a base para a fraude está, em primeiro lugar, naquela imensa maioria dos eleitores que não sabe quem tem direito a votar. Isso só é conhecido por umas poucas maquinarias políticas. E, por isso, há mortos que votam várias vezes, ou, como acontece nos Estados Unidos, numerosos cidadãos não são incluídos nos Registros porque alguma vez foram condenados pelos tribunais, apesar de terem cumprido as suas penas.

O que mais distingue e diferencia as eleições em Cuba de outras, são as assembléias de nomeação de candidatos. Noutros países a essência do sistema democrático é que os candidatos surjam dos partidos, da competição entre vários partidos e candidatos. Isso não é assim em Cuba. Os candidatos não saem de nenhuma maquinaria política. O Partido Comunista de Cuba, força dirigente da sociedade e do Estado, não é uma organização com propósitos eleitorais. Nem apresenta, nem elege, nem revoga nenhum dos milhares de homens e mulheres que ocupam os cargos representativos do Estado cubano. Entre os seus fins nunca esteve nem estará ganhar lugares na Assembléia Nacional ou nas Assembléias Provinciais ou Municipais do Poder Popular. Em cada um dos processos celebrados até à data foram propostos e eleitos numerosos militantes do Partido, porque os seus concidadãos os consideraram pessoas com méritos e aptidões, mas não devido à sua militância.

Os cubanos e as cubanas têm o privilégio de apresentar os seus candidatos com base nos seus méritos e capacidades, em assembléias de residentes em bairros, demarcações ou áreas nas cidades ou no campo. De braço no ar é feita a votação nessas assembléias, de onde resulta eleito aquele proposto que obtenha maior número de votos. Em cada circunscrição eleitoral há varias áreas de nomeação, e a Lei Eleitoral garante que pelo menos 2 candidatos, e até 8, possam ser os que aparecem nos boletins para a eleição de delegados do próximo dia 25 de Abril.

Outra marca do processo eleitoral em Cuba é a ausência de propaganda custosa e ruidosa, a mercantilização que está presente noutros países, onde há uma corrida para a obtenção de fundos ou para priviligear uma ou outra empresa de relações públicas. Nenhum dos candidatos apresentados em Cuba pode fazer propaganda a seu favor e, obviamente, nenhum necessita de ser rico ou de dispor de fundos ou ajuda financeira para se dar a conhecer. Nas praças e nas ruas não há ações a favor de nenhum candidato, nem manifestações nem carros com altofalantes, nem cartazes com as suas fotografias, nem promessas eleitorais; na rádio e na televisão também não; nem na imprensa escrita. A única propaganda é executada pelas autoridades eleitorais e consiste na exposição em lugares públicos na área de residência dos eleitores da biografia e fotografia de cada um dos candidatos. Nenhum candidato é privilegiado sobre outro. Nas biografias são expostos méritos alcançados na vida social, a fim de que os eleitores possam ter elementos sobre condições pessoais, prestígio e capacidade para servir o povo de cada um dos candidatos e emitir livremente o seu voto pelo que considere o melhor.

A marca final que queremos comentar é a votação e o escrutínio público. Em Cuba não é obrigatório o voto. Como estabelece o Artigo 3 da Lei Eleitoral, é livre, igual e secreto, e cada eleitor tem direito a um só voto. Ninguém tem, pois, nada que temer se não for ao seu colégio eleitoral no dia das eleições ou se decidir entregar o seu boletim em branco ou anulá-lo. Não acontece com em muitos países onde o voto é obrigatório e as pessoas são compelidas a votarem para não serem multadas, ou serem levadas a tribunal ou até para não perderem o emprego.

Enquanto noutros países, incluindo os Estados Unidos, a essência radica em que a maioria não vote, em Cuba garante-se que quem o deseje possa fazê-lo. Nas eleições efectuadas em Cuba desde 1976 até à data, em média, 97 % dos eleitores foram votar. Nas últimas três votaram mais de 8 milhões de eleitores.

A contagem dos votos nas eleições cubanas é pública, e pode ser presenciada em cada colégio por todos os cidadãos que o desejem fazer, inclusivamente a imprensa nacional ou estrangeira. E, para além disso, os eleitos só o são se alcançam mais de 50% dos votos válidos emitidos, e eles prestam contas aos seus eleitores e podem ser revogados a qualquer momento do seu mandato. Aspiro simplesmente a que com estas marcas agora enunciadas, um leitor sem informação sobre a realidade cubana responda a algumas elementares perguntas, como as seguintes: onde há maior transparência eleitoral e maior liberdade e democracia? onde se obtiveram melhores resultados eleitorais: em países com muitos partidos políticos, muitos candidatos, muita propaganda, ou na Cuba silenciada ou manipulada pelos grandes meios, monopolizados por um punhado de empresas e magnatas cada vez mais reduzido?

E aspiro, para além disso, a que pelo menos algum dia, cesse na grande imprensa o muro de silêncio que se levantou sobre as eleições em Cuba, tal como noutros temas como a obra na saúde pública e na educação, e isso possa ser fonte de conhecimento para outros povos que merecem um maior respeito e um futuro de mais liberdades e democracia.

Mini-Manual do Guerrilheiro Urbano.

Posted in ???????, conspiração, Des-Informação with tags , , , , , on 07/02/2010 by blogdobatman

 

  “O guerrilheiro urbano é um inimigo implacável do governo e infringe dano sistemático às autoridades e aos homens que dominam e exercem o poder. O trabalho principal do guerrilheiro urbano é de distrair, cansar e desmoralizar os militares, a ditadura militar e as forças repressivas, como também atacar e destruir as riquezas dos norte-americanos, os gerentes estrangeiros, e a alta classe brasileira.”

          Essa é uma das primeiras frases do Mini-Manual Do guerrilheiro Urbano,  disponível aqui: http://www.marxists.org/portugues/marighella/1969/manual/ .

       Mesmo que pareça desnecessário aprender como montar uma pequena célula terrorista, nunca se sabe como será o dia de amanhã.  Além de que, o manual é um documento histórico interessantissímo. E fornece um ponto de vista raro  da realidade brasileira durante o regime militar, ponto de vista que, por motívos óbvios, não foi muito registrado.

Osama’s calling !!

Posted in Des-Informação with tags , , , on 06/10/2009 by blogdobatman

Manhã de domingo. Você acorda com o telefone tocando; ao tirar o telefone do gancho, é surpreendido por uma voz de zumbi, falando coisas incompreensíveis numa lingua estranha. Adivinha quem é?

Osama na linha! Direto do deserto do Afeganistão. Uma mensagem em audio supostamente enviada pelo chefe terrorista apareceu, no fim do mês passado, em vários sites “jihadistas”, isto é, fundamentalistas islâmicos. Em seu podcast mais recente, Osama apela ao seu quase-homônimo Obama que acabe com as “guerras de terror” no oriente médio. A autenticidade da gravação ainda não foi confirmada, e o governo dos EUA ainda não se pronunciou sobre ela.

UnB à beira da greve

Posted in Des-Informação with tags , , on 14/09/2009 by blogdobatman

A assembléia da ADUnB ocorrida na manhã de hoje (14/09) manteve o indicativo de greve que havia sido aprovado na assembléia de quarta feira (09/09). Os professores lutam contra a decisão do TCU que suspende o pagamento da URP, uma gratificação que representa de 8% a 15% dos salários dos docentes. Os funcionários também sairão perdendo caso a decisão do TCU se mantenha. A medida cautelar que reduziria os sálarios foi embargada por uma ação movida pela reitoria, garantindo o pagamento normal dos salários nesse mês de setembro.

docentes em momento de lazer

docentes em momento de lazer

O corte da URP afetaria principalmente os professores contratados à menos tempo e acentuaria a desigualdade entre os diferentes níveis da carreira. Os rumos da campanha serão deicididos na próxima reunião da ADUnB, na sexta feira. Apesar do embargo, O TCU não aceitou os remédios legais propostos pelo reitor José Geraldo na semana passada.

Chile também estuda legalização da Maconha

Posted in Des-Informação on 02/09/2009 by blogdobatman

A recente onda liberalizante pela qual passam os países da América Latina fez sentir seus efeitos até mesmo na terra de Pinochet. Na última quinta feira, jornalistas da agência EFE perguntaram à  diretora do Conselho Nacional para o Controle de Entorpecentes chileno (Conace), María Teresa Chadwick sobre o tema. Ela respondeu que, de fato, o órgão estuda uma proposta de mudança na legislação que permitiria o uso e o porte da maconha.

conace

Percebendo o óbvio, a diretora declarou que “Com esta iniciativa, poderíamos descriminalizar o consumo sem legalizar as drogas. É importante que todos os países modifiquem suas legislações para que os consumidores não venham parar nas prisões, já que é preciso separar o consumo do tráfico”.

O CONACE chileno representa algo como o nosso PROERD, só que  com mais poderes institucionais, pois não se trata de um mero programa. Mesmo com a boa vontade da manda-chuva, a legalização da ganja parece uma realidade distante no Chile.  Ao contrário de outros países da região, como a Argentina, o Chile é conhecido por sua política intransigente e conservadora no combate às drogas; e mesmo a maioria da população está longe de ser “marijuana-friendly”. De qualquer forma, a declaração da diretora reflete uma abertura ao debate dessas questões, o que é altamente positivo.

mono.conace

Acima, uma amostra do tipo de publicidade preconceituosa usada pelo CONACE chileno no combate à marijuana, que se apóia no velho clichê da associação entre uso de maconha e baixa inteligência.